A TUA VOZ

Eu queria calar tudo que já disse
e reescrever a única voz
que ainda faz sentido

A palavra que me inquieta
que chama a madrugada
e a me dá de presente
como um grito
Incontido

O som limpo de uma voz apaixonada
que quando me pronuncia me descobre
e eu passo a ser mar à vista e terra e eu e tudo

do nada

Eu só me reconheço
quando ela sussurra em meu ouvido
seu hálito cor de laranja
e lambe
o que fui ferido
dos meus pesadelos

É quando me torno seu hábito
na noite negra da vida

atado aos seus pelos
pela mesma ferida

É urgente, pois, que eu não partisse
antes de sua voz ressoar
todos os poemas
que eu ainda não disse.